Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Artigos

v. 8 (2021): Revista de Estudos Empíricos em Direito

A pesquisa jurídica em questão: um estudo de revisão sistemática

DOI
https://doi.org/10.19092/reed.v8i.560
Enviado
novembro 14, 2020
Publicado
março 26, 2021

Resumo

O objetivo do presente artigo é verificar em que medida os textos publicados em periódicos do campo jurídico apresentam e explicitam critérios metodológicos recomendados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas. Caracteriza-se como um estudo exploratório e descritivo, utilizando-se de revisão sistemática com abordagem bibliométrica. A partir dos dados obtidos, verificamos que dos 241 artigos encontrados nas revistas de Direito, 37% não indicam o objetivo no resumo; 61% dos artigos não explicitam o método e/ou a técnica usados para desenvolver a pesquisa; e, por fim, 61% não explicitam os resultados e/ou conclusões. Se de um lado, a ausência recorrente desses elementos fundantes de uma pesquisa, em qualquer campo, tende a fragilizar e projetar-se como obstáculo às publicações jurídicas com pretensões científicas, de outro, torna visível a necessidade de refinamento da pesquisa no campo jurídico

Referências

  1. ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2003) NBR 6028: Informação e documentação - Resumo - Apresentação. Rio de Janeiro.
  2. ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2011) NBR 14724: Informação e documentação — Trabalhos acadêmicos — Apresentação. Rio de Janeiro.
  3. Almeida, F. F. de. (2014). Aspectos práticos da pesquisa empírica em direito: uma discussão a partir da experiência etnográfica no Tribunal do Júri. Revista De Estudos Empíricos Em Direito, 1(2). https://doi.org/10.19092/reed.v1i2.23
  4. Araújo, R. C. de O. da S. et al. (2017) Inovação e sustentabilidade na produção e uso de energia: uma meta-análise. XIX ENGEMA. Disponível em: http://engemausp.submissao.com.br/19/anais/arquivos/24.pdf Acesso em: 22 Jul. 2020
  5. Botelho, L. L. R., Cunha, C. C. de A., & Macedo, M. (2011) O método da revisão ntegrativa nos estudos organizacionais. Gestão & Sociedade, 5(11), 121-136. Disponível em: https://www.gestaoesociedade.org/gestaoesociedade/article/view/1220. Acesso em: 20/05/2017.
  6. Carvalho, D. A. de. (2016) Dialética do descompasso: os tempos de Monteiro Lobato na composição da nação brasileira (1914-1927). 223 f. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.
  7. Costa, T. et al. (2012) A Bibliometria e a Avaliação da Produção Científica: indicadores e ferramentas. Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas. Integração, Acesso e Valor social. n. 11. Disponível em: https://www.bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/429 Acesso em 22 jul. 2020.
  8. Descartes, R. (1987) Descartes: vida e obra. 4. ed. São Paulo: Nova Cultural. (Os Pensadores).
  9. Galvão, T. F. & Pereira, M.G. (2014) Revisões sistemáticas da literatura: passos para sua elaboração. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 23(1), p. 183-184, mar. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742014000100018&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 07 jun. 2020.
  10. Galvão, C.M., Sawada, N.O. & Trevizan, M.A. (2004) Revisão sistemática: recurso que proporciona a incorporação das evidências na prática da enfermagem. Rev Latino-Am Enfermagem. 12(3), p. 549-556. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692004000300014&script=sci_arttext Acesso em: 07 jun. 2020.
  11. Gil, A. C. (2002) Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas.
  12. Gil, A. C. (1999) Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo, Atlas.
  13. Kelsen, Hans. (2009) [1934] Teoria pura do direito. 8.ed. São Paulo: WMF Martins Fontes.
  14. Lins e Horta, R. de, Almeida, V. R. de, & Chilvarquer, M. (2014). Avaliando o desenvolvimento da pesquisa empírica em direito no Brasil: o caso do Projeto Pensando o Direito. Revista De Estudos Empíricos Em Direito, 1(2). https://doi.org/10.19092/reed.v1i2.40
  15. Melo, Á. J. M. (2018) Os direitos humanos à água e ao saneamento: repercussões jurídicas na gestão de recursos hídricos e saneamento no direito brasileiro e emergência de uma organização sul-americana de gestão de águas. 334 f. Tese (Doutorado em Direito), Faculdade de Direito, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.
  16. Mezzaroba, O. & Monteiro, C. S. (2014) Manual de metodologia da pesquisa no direito. 6.ed. São Paulo: Saraiva.
  17. Minusi, S. G., Moura, A. A., Jardim, M.L.G. & Ravasio. M. H. (2018) Considerações sobre Estado da Arte, Levantamento Bibliográfico e Pesquisa Bibliográfica: relações e limites. Revista Gestão Universitária. Disponível em: http://www.gestaouniversitaria.com.br/artigos/consideracoes-sobre-estado-da-arte-levantamento-bibliografico-e-pesquisa-bibliografica-relacoes-e-limites Acesso em: 07 jun. 2020.
  18. Pelegrini, J.V. (2020) Gentrificação e Operações Consorciadas Urbanas: Atenuantes e instrumentos legais. 99 f. Dissertação (Mestrado em Direito) Programa de Pós-Graduação em Direito Empresarial e Cidadania, Centro Universitário Curitiba – UNICURITIBA, Curitiba.
  19. Pereira, M. G. & Galvao, T. F. (2014) Etapas de busca e seleção de artigos em revisões sistemáticas da literatura. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 23(2), p. 369-371, jun. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742014000200019&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 07 jun. 2020.
  20. Pereira, M. G. & Galvao, T. F. (2014) Heterogeneidade e viés de publicação em revisões sistemáticas. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 23(4), p. 775-778, dez. Disponível em http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742014000400021&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 07 jun. 2020.
  21. Popper, K. R. (2003) Conjecturas e Refutações: o desenvolvimento do conhecimento científico. Coimbra: Almedina.
  22. Quivy, R. & Campenhoudt, L.V. (2008) Manual de investigação em ciências sociais. 5.ed. Portugal: Gradiva.
  23. Sampaio, R. F. & Mancini, M.C. (2007) Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev. bras. fisioter., São Carlos, 11(1), p. 83-89, jan./fev. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbfis/v11n1/12.pdf Acesso em: 22 jul. 2020.
  24. Vanti, N. A. P. (2002) Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ci. Inf., Brasília , 31(2), p. 369-379, Ago. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652002000200016&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 22 Jul. 2020

Downloads

Não há dados estatísticos.