Direitos Humanos e o acesso à maconha medicinal para fornecimento gratuito de medicamentos pelo SUS: um estudo de caso da Ação Civil Pública nº 0802271-83.2015.4.05.8200

  • Lucas Lopes Oliveira Universidade Federal da Paraí­ba
  • Luziana Ramalho Ribeiro Universidade Federal da Paraíba

Resumo

O presente estudo analisa a judicialização do direito ao acesso à maconha medicinal a partir de ações judiciais que visam o fornecimento de medicamentos à base de maconha pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Trata-se, portanto de uma pesquisa sociojurídica qualitativa de base documental analisada sob o viés foucaultiano da análise de discurso. Como estratégia de pesquisa utilizamos um estudo de caso de uma emblemática Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Federal da Paraíba. Nosso objetivo foi explorar as possibilidades e os limites da efetivação dos direitos humanos de pacientes que demandam o uso de maconha medicinal frente a tal forma de judicalização deste acesso.  Trabalhamos a hipótese de que tal ação se mostra ainda a mercê de grande insegurança jurídica. Ao final, realizamos a contextualização de tal ação dentro de uma problematização maior de judicalização do direito ao acesso à maconha medicinal a partir de uma crítica aos entraves legais que permeiam o acesso à maconha medicinal no Brasil.

Biografia do Autor

Lucas Lopes Oliveira, Universidade Federal da Paraí­ba
Mestre em Direitos Humanos, Cidadania e Polí­ticas Públicas pela UFPB.
Luziana Ramalho Ribeiro, Universidade Federal da Paraíba
Doutora em Sociologia pela UFPB. Professora do PPGDH/UFPB.

Referências

ARAÚJO, Tarso (2014). ILEGAL. Documentário. 90 min. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=I-072T0enO4. Acessado em: 04/06/2015.

BARROSO, Luís Roberto (2007). Da falta de efetividade à judicialização excessiva: direito à saúde, fornecimento gratuito de medicamentos e parâmetros para a atuação judicial. Revista de Direito da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro. Encontrado em: https://www.conjur.com.br/dl/estudobarroso.pdf. Acesso em: 14/05/2016.

BRASIL (2016). Resolução da Diretoria Colegiada - RDC N° 66 de 18 de março de 2016. Dispõe sobre a atualização do Anexo I (Listas de Substâncias Entorpecentes, Psicotrópicas, Precursoras e Outras sob Controle Especial) da Portaria SVS/MS nº 344, de 12 de maio de 1998, e dá outras providências. Disponível em: < http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=28&data=21/03/2016br >. Acesso em: 04 abr. 2015.

BRASIL (2014). Ministério Público Federal. Procedimento Preparatório n 1.24.000.001421/2014-74. PFDC. Saúde. Canabidiol. Acesso à medicação. Reclassificação junto à ANVISA. Disponibilidade pelo SUS. Partes: representante: Sheila e outros; representados: ANVISA. Autuado 09/07/2014.

BRASIL (2014). Justiça Federal. Ação Civil Pública nº 0802543-14.2014.4.05.8200, ajuizada em 31 de julho de 2014 (1ª Vara Federal). In: BRASIL. Ministério Público Federal. 192 Procedimento Preparatório n 1.24.000.001421/2014-74. PFDC. Saúde. Canabidiol. Acesso à medicação. Reclassificação junto à ANVISA. Disponibilidade pelo SUS. Partes: representante: Sheila e outros; representados: ANVISA. Autuado 09/07/2014.

BRASIL (2015). Justiça Federal. Ação Civil Pública n 0802271-83.2015.4.05.8200, ajuizada em ajuizada em 15 de junho de 2015 (3ª Vara Federal). In: BRASIL. Ministério Público Federal. Inquérito Civil Público n 1.24.000.001421/2014-74. PFDC. Saúde. Canabidiol. Requer intervenção da PRDC, no sentido de garantir o acesso ao cannabidiol (CBD); intervir junto à ANVISA para que o tema seja tratado com urgência e relevancia; assegurar o custeio do tratamento (SUS) e solicita ao CFM que emita um documento orientando os médicos sobre o uso do cannabidiol. Partes: representante: Sheila e outros; representados: ANVISA e outros. Convertido em 15/04/2015.

BRASIL (2015). Ministério Público Federal. Inquérito Civil Público n 1.24.000.001421/2014-74. PFDC. Saúde. Canabidiol. Requer intervenção da PRDC, no sentido de garantir o acesso ao cannabidiol (CBD); intervir junto à ANVISA para que o tema seja tratado com urgência e relevancia; assegurar o custeio do tratamento (SUS) e solicita ao CFM que emita um documento orientando os médicos sobre o uso do cannabidiol. Partes: representante: Sheila e outros; representados: ANVISA e outros. Convertido em 15/04/2015.

BRASIL (2014). Universidade Federal da Paraíba - UFPB. UFPB dará início às pesquisas para controle de qualidade dos medicamentos à base de maconha. João Pessoa. Encontrado em: http://www.ufpb.br/content/ufpb-dar%C3%A1-in%C3%ADcio-%C3%A0s-pesquisas-paracontrole-de-qualidade-dos-medicamentos-%C3%A0-base-de-maconha.

BRASIL (2014). Ministério Público Federal. Sai sentença de mérito em favor da importação do canabidiol por famílias paraibanas. Encontrado em: http://www.prpb.mpf.mp.br/news/sai-sentenca-de-merito-em-favor-da-importacao-docanabidiol-por-familias-paraibanas. Acessado em: 04/06/2014.

BRASIL (2017). Ministério da Justiça. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias Atualização - Junho de 2016. Brasília.

BOITEUX, Luciana (2014). Drogas e cárcere: repressão às drogas, aumento da população penitenciária brasileira e alternativas. In: SHECARIA, Sergio Salomão (Org.). Drogas uma nova perspectiva. São Paulo: IBCCRIM.

BOITEUX, Luciana (2015). Brasil: reflexões críticas sobre uma política de drogas repressiva. In: Revista Sur: Revista internacional de Direitos Humanos, v.12, N. 21.

CASTILHO, Ela Wiecko Volkmer de; et ali (org.) (2009). Série Pensando o Direito: Tráfico de Drogas e Constituição. Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro/Universidade de Brasília: Rio de Janeiro/Brasília.

CARVALHO, Salo de (2013). Anti-manual de criminologia. São Paulo: Saraiva.

CARVALHO, Salo de (2013). A política criminal de drogas no Brasil: estudo criminológico e dogmático. 6 ed. São Paulo: Saraiva.

CARLOS, Juliana de Oliveira (2015). Política de drogas e encarceramento em São Paulo, Brasil. Reino Unido: Consórcio Internacional sobre Políticas de Drogas (IDPC). Encontrado em: https://dl.dropboxusercontent.com/u/64663568/library/IDPCbriefing-paper_Drug-policy-in-Brazil-2015_PORTUGUESE.pdf . Acesso em: 16/10/2015

DELMANTO, Júlio (2013). Camaradas caretas: drogas e esquerda no Brasil após 1961. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. Dissertação de Mestrado em História Social.

FOUCAULT, Michel (1999). Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975- 1976). São Paulo: Martins Fontes.

FOUCAULT, Michel (2009). A Verdade e as Formas Jurídicas. 3. ed. Rio de Janeiro: Nau.

FOUCAULT, Michel (2013). Vigiar e punir: nascimento da prisão. 36ª ed. Petrópolis: Vozes.

FOUCAULT, Michel (2013). A ordem do discurso aula inaugural no College France pronunciada em 2 de dezembro de 1970.São Paulo: Edições Loyola.

FOUCAULT, Michel (2014). História da sexualidade 1: A vontade de saber. São Paulo: Paz e Terra.

FOUCAULT, Michel (2002). Os Anormais: Curso no College de France (1974-1975). São Paulo: Martins Fontes.

JESUS, Maria Gorete Marques de (Org.) (2011). Prisão Provisória e Lei de Drogas: Um estudo sobre os flagrantes de tráfico de drogas na cidade de São Paulo. São Paulo: Núcleo de Estudo da Violência da USP.

MATTOS, Paulo E. Orlandi (2015). Modelos internacionais de regulamentação do uso medicinal da cannabis. In: Drogas no Brasil: entre a saúde e a justiça : proximidades e opiniões / Vilma Bokany (organizadora). – São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.

OLIVEIRA, Lucas Lopes (2016). Discursos médicos e jurídicos sobre maconha no Brasil e na Paraíba: os contradiscursos no debate sobre as políticas de drogas à luz dos direitos humanos. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas – PPGDH/UFPB.

OLIVEIRA, Lucas Lopes; RIBEIRO, Luziana Ramalho (2017). Discursos Médicos e Jurídicos Sobre Maconha na Paraíba: a judicialização do direito ao acesso à maconha medicinal. Revista de Estudos Empíricos em Direito, v. 4, n. 2.

OLIVEIRA, Lucas Lopes; RIBEIRO, Luziana Ramalho (2016). Políticas públicas de drogas no Brasil e Direitos Humanos. Revista Interdisciplinar de Direitos Humanos, v. 4, n. 1, p. 139-159.

PAULINO, Fernando Oliveira; PINTO, Jeronimo Calorio (2013). Direito à comunicação, liberdade de expressão e marcha da maconha. Eptic online: revista electronica internacional de economia política da informaçao, da comuniçao e da cultura, v. 15, n. 3, p. 162-176.

RODRIGUES, Thiago (2008). Trafico, guerra e proibição. In: LABATE, Beatriz Caiuby e outros (Org.). Drogas e cultura: novas perspectivas. Salvador: EDUFABA.

RÚBIO, David Sánchez (2006). Reversibilidade do direito: os direitos humanos na tensão entre mercado, os seres humanos e a natureza. Revista de estudos criminais(22) porto alegre: notadez/ PPGC- Crim PUCRS/ ITEC.

RÚBIO, David Sánchez; FLORES, Joaquín Herrera; DE CARVALHO, Salo (2010). Direitos humanos e globalização. EDIPUCRS: Porto Alegre.

SALIH, Sara (2017). Judith Butler e a teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, Editora.

SPARGO, Tamsin (2017). Foucault e a teoria queer: seguido de Ágape e êxtase: orientações pós-seculares. Belo Horizonte: Autêntica (Argos, 2).

ZALUAR, Alba (2000). Para não dizer que não falei de samba: os enigmas da violência no Brasil. In: ZALUAR, A. História da vida privada no Brasil, Vol. III. Contrastes da intimidade contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras.

Publicado
2019-08-22
Seção
Artigos