Novas biotecnologias e recuperação de informações

um estudo empírico acerca do estado da arte da biotecnologia CRISPR/Cas9 na base de dados das agências de fomento CAPES, CNPq, FAPERGS e FAPESP.

Palavras-chave: recuperação de informações, pesquisas científicas, CRISPR/Cas9, agências de fomento

Resumo

O trabalho tem como foco estudar a recuperação de informações públicas sobre pesquisas científicas envolvendo a biotecnologia CRISPR/Cas9 financiadas e disponíves na base de dados de agências de fomento, ambicionando pensar em condições para a justificação pública de aplicações biotecnológicas em sociedade. Utilizando-se o método de abordagem hipotético-dedutivo, estuda-se a biotecnologia CRISPR/Cas9 em um plano histórico-evolutivo em face de suas potencialidades à sociedade, englobando a reflexão sobre os aspectos éticos que permeiam seus respectivos riscos; recorre-se à técnica de análise de textos ou dados denominada Mineração de textos, para analisar a evolução de CRISPR/Cas9 no Brasil. Conclui-se que mecanismos como o Serviço de Informação ao Cidadão, regulamentados pela Lei de Acesso à Informação, em alguns casos, podem não ser eficientes para a recuperação de informações disponíveis junto às agências de fomento no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luan Christ Rodrigues, Universidade do Estado de Mato Grosso.

 Professor da Universidade do Estado de Mato Grosso. Doutorando em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Direito e Sociedade pela Universidade La Salle. Graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Referências

ANDORNO, Roberto. (2009). “Liberdade” e “dignidade” da pessoa: dois paradigmas opostos ou complementares na bioética? In: MARTINS-COSTA, Judith: MÖLLER, Letícia Ludwig (Org.). Bioética e responsabilidade. (pp.73-93). Rio de Janeiro: Forense.

AYALA, Patryck de Araújo. (2011). Devido processo ambiental e o direito fundamental ao meio ambiente. Rio de Janeiro: Lumen Juris.

AZAMBUJA, Celso Candido de. (2013). Ética e tecnociência. Revista de Filosofia Aurora, Curitiba, 25(36), 323-340. Disponível em: <http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/rf?dd99=issue&dd0=423>. Acesso em: 28 nov. 2017.

BARCELLOS, Ana Paula de. (2015). Acesso à informação: os princípios da Lei nº 12.527/2011. Quaestio Iuris, Rio de Janeiro, 8(3), 1.741-1.759. Disponível em: <http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/quaestioiuris/article/view/18818>. Acessado em: 21 mar. 2018.

BRAVERMAN, Irus. (2017a). Gene Drives, Nature, Govenance: An Ethnographic Perspective. University at Buffalo School of Law Legal Studies Research. 17(6), 1-28. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=3032607>. Acesso em: set. 2017.

BRAVERMAN, Irus (Ed.). (2017b).Gene editing, law, and the environment: life beyond the human. London: Routledge.

CANOTILHO, J. J. Gomes; MENDES, Gilmar F.; SARLET, Ingo W.; STRECK, Lenio L. (Coords.). (2013).Comentários à Constituição do Brasil. São Paulo: Saraiva; Almedina.

CARVALHO, Anna Carolina Pereira Vieira de. (2010).Construção e caracterização de um vírus Adeno-associado com expressão direcionada para células em divisão. 88 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) – Programa de Pós-Graduação Interunidades em Biotecnologia, Universidade de São Paulo/Instituto Butantan IPT, São Paulo. Disponível em: doi:10.11606/D.87.2010.tde-18062010-125910. Acesso em: 10 dez. 2017.

CHARLESWORTH, C. T. et al. (2018). Identification of pre-existing adaptive immunity to Cas9 proteins in humans. bioRxiv. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1101/243345>. Acesso em: 20 jan. 2018.

DOUDNA, J. et al. (2012).A programmable dual-RNA-guided DNA endonuclease in adaptive bacterial immunity. Science, São Francisco, EUA, 337(6096), 816-821. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22745249>. Acesso em: 14 ago. 2017.

FARIAS, Edilsom Pereira de. (2008).Colisão de direitos: a honra, a intimidade, a vida privada e a imagem versus a liberdade de expressão e comunicação. 3. ed. rev. e atual. Porto Alegre: Fabris.

FRANCIS, Richard C. (2015).Epigenética: como a ciência está revolucionando o que sabemos sobre hereditariedade. Rio de Janeiro: Zahar.

FURTADO, M. I. V. (2004). Inteligência competitiva para o ensino superior privado: uma abordagem através da mineração de dados. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – COPPE/UFRJ, D. Sc., Engenharia Civil, 121 f.

GOLDIM, J. R. (2015). Genetics and ethics: a possible and necessary dialogue. J. Community Genet. Estados Unidos, 6(3), p. 193-196.

GOLDIM, J. R; LAUXEN, Elis Cristina Uhry. (2015) Intervenções genéticas em seres humanos: aspectos éticos e jurídicos. Barbarói, Santa Cruz do Sul, 45(1), 202-226. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/6861>. Acesso em: 03 maio 2017.

GOMES, Carla Amado. (2007).Risco e modificação do acto autorizativo concretizador de deveres de proteção do ambiente. Tese (Doutorado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade de Lisboa, Edição da autora, 564 f. Acessado em: fev. 2018. Disponível em: <http://www.fd.unl.pt/docentes_docs/ma/cg_ma_17157.pdf>.

HEIDARI, Raheleh et. al. (2017). CRISPR and the rebirth of synthetic biology. Science and Engineering Ethics, Estados Unidos, 23(2), 351-363. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007/s11948-016-9768-z>. Acesso em: 08 set. 2017.

HEINEN, Juliano. (2014).Comentários à Lei de Acesso à Informação: Lei nº 12.527/2011. Belo Horizonte: Editora Fórum.

HUMAN FERTILISATION AND EMBRYOLOGY AUTHORITY.(2011).Scientific review of the safety and efficacy of methods to avoid mitochondrial disease through assisted conception. Report provided to the Human Fertilisation and Embryology Authority. Disponível em: <http://www.hfea.gov.uk/docs/2011-04-18_Mitochondria_review_-_final_report.PDF>. Acesso em: Acesso em: 08 jun. 2017.

JASANOFF, Sheila. (2012).Science and Public Reason. EUA: Routledge.

KUIKEN, Todd. (2017). Vigilante Environmentalism: Are Gene Drives Changing How We Value and Govern Ecosystems? In. BRAVERMAN, Irus (ed.). Gene Editing, Law, and the Environment: Life Beyond the Human. (pp. 95-112). London: Routledge.

KUIKEN, Todd et al.(2012). Synthetic biology: four steps to avoid a synthetic-biology disaster. Nature, Estados Unidos, 483(29). Disponível em: <https://www.nature.com/articles/483029a>. Acesso em: 13 nov. 2017.

LEITE, José Rubens Morato; AYALA, Patryck de Araújo; SILVEIRA, Paula Galbiatti. (2016). Estado de Direito Ambiental e Sensibilidade Ecológica: os Novos Desafios à Proteção da Natureza em um Direito Ambietal de Segunda Geração. In: LEITE, José Rubens Morato; WOLKMER, Antonio Carlos (org.).Os “novos” direitos no Brasil: natureza e perspectivas: uma visão básica das novas conflituosidades jurídicas. (pp. 223-260). 3. ed. São Paulo: Saraiva.

MARISCAL, C, PETROPANAGOS, A. (2016). CRISPR as a driving force: the Model T of biotechnology. Monash Biotech Rev., Melbourne: Austrália, 24(2), 101-116.

MONTILLA MARTOS, José Antonio. Transparencia y acceso a la información en España. (2016).In: SARLET, Ingo Wolfgang et. al. (Coord). Acesso à informação como direito fundamental e dever estatal. (pp. 53-69). Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora.

MUKHERJEE, Siddhartha. (2016).O gene: uma história íntima. Tradução de Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras.

OHLWEILER, Leonel Pires. (2016). A efetividade do acesso às informações administrativas e o direito à boa administração pública: questões hermenêuticas sobre a transparência na administração pública e a Lei nº 12.527/2011. In: SARLET, Ingo Wolfgang et. al. (Coord). Acesso à informação como direito fundamental e dever estatal. (pp. 27-52). Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora.

PARRINGTON, John. (2016). Redesigning life: how genome editing will transform the world. UK: Oxford.

PASCUAL, Gabriel Doménech. (2006).Derechos fundamentales y riesgos tecnológicos. Madrid: Centro de Estudos Políticos y Constitucionales.

PETTERLE, Selma Rodrigues. (2007).O direito fundamental à identidade genética na Constituição brasileira. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora.

PETTERLE, Selma Rodrigues; SARLET, Ingo Wolfgang. (2014). Liberdade de pesquisa científica como direito humano e fundamental e seus limites: a pesquisa com seres humanos e os parâmetros protetivos estabelecidos pelo direito internacional e sua recepção no brasil. Espaço Jurídico, Chapecó, 15(1), 13-38. Disponível em: <http://editora.unoesc.edu.br/index.php/espacojuridico/article/view/3586>. Acesso em: Acesso em: 03 jul. 2017.

REZENDE, S. O.; MARCACINI, R. M.; MOURA, M. F. (2011). O uso da mineração de textos para extração e organização não supervisionada de conhecimento. Revista de Sistemas de Informação da FSMA, Rio de Janeiro, 7(1), 7-21. Disponível em: <https://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/895476/1/FSMA.pdf>. Acesso em: 03 jan. 2018.

SARLET, Ingo Wolfgang; MOLINARO, Carlos Alberto. (2016). O direito à informação na ordem constitucional brasileira: breves apontamentos. In: SARLET, Ingo Wolfgang et. al. (Coord). Acesso à informação como direito fundamental e dever estatal. (pp. 11-26). Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora.

SAVULESCU, Julian; DOUGLAS, Thomas. (2010).Synthetic biology and the ethics of knowledge. Journal of Medical Ethics, EUA, 36(11), 687-693. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3045879/>. Acesso em: 02 out. 2017.

SCHWAB, Klaus. (2016).A quarta revolução industrial. Tradução de Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro.

TATAY, Lucía Gómez et al. (2017). Mitochondrial modification techniques and ethical issues. Journal of Clinical Medicine, Basel, Suíça, 6(3), 6-25.

UNIVERSITÉ PARIS-SUD 11. (2017).CRISPRs web server. Última atualização em: maio 2017. Disponível em: <http://crispr.i2bc.paris-saclay.fr>. Acesso em: set. 2017.

Publicado
2020-09-07
Como Citar
Rodrigues, L. C. (2020). Novas biotecnologias e recuperação de informações: um estudo empírico acerca do estado da arte da biotecnologia CRISPR/Cas9 na base de dados das agências de fomento CAPES, CNPq, FAPERGS e FAPESP. Revista De Estudos Empíricos Em Direito, 7(3), 52-75. https://doi.org/10.19092/reed.v7i3.343